pidan

Num dos meus primeiros dias de aula, a professora de técnicas e métodos de cozinha levou vários temperos e especiarias pra aula pra todo mundo se familiarizar. E dentre as coisas que ela levou pra cozinha havia o Pidan, ou ovo centenário.

O pidan é uma iguaria da culinária oriental, especialmente da China, em que se utilizam ovos de pato, ganso, galinha ou codorna. O ovo é submetido a um processo de conservação que torna-o mais alcalino, através de uma mistura de sal, argila, cinzas, cal e amido de arroz. Ele fica nessa mistura por semanas e até meses, dependendo do resultado desejado (sabor mais ou menos intenso).

O pidan tem uma aparência estranha em se tratanto de um ovo: sua clara assume uma coloração dourado-escura e aspecto gelatinoso (me lembra geléia de mocotó inbasa tanto na cor quanto na textura), bem bonito; a gema, por sua vez, torna-se escura, num tom que pode variar entre o verde escuro e o cinza chumbo. A gema tem uma textura macia, de cheiro muito forte e sabor intenso. Recomendo não cheirar antes de comer, pode dar um certo asco.

Não é um acepipe que você vá comer todo dia, mas acho que experimentar uma vez na vida vale a pena, principalmente pra quem não tem medo do novo. Na Liberdade vende em caixinhas ou isoladamente, e eu simplesmente esqueci de trazer quando fui agora pra São Paulo. Agora só me resta encomendar pros amigos que estão vindo pras bandas de cá. É fácil achar, são vendidos assim:

Anúncios