risotto de lula

Domingo retrasado, uns amigos que tão morando em São Paulo tavam na área e resolvi chamar pra tomar uma cervejinha e jogar conversa fora. E pra não deixá-los com fome, fiz um risotto de lula, super simples.

Pra começar, é preciso ter um caldo de peixe pronto. Pra fazer o caldo, você vai precisar de:

Carcaça de peixe (cabeça, espinha) crua – se você não tiver um peixe inteiro, pode usar duas postas de qualquer peixe, mas com a carcaça fica mais gostoso
Pedaços do peixe cru
1 cebola picada
1 cenoura pequena em cubos
1 talo de salsão picado
½ talo de alho-poró picado
Salsinha picada

Primeiro você vai dourar a cebola em um pouco de azeite ou manteiga, quando já tiver ficando transparente, adicione o alho-poró picado. Antes que o alho-poró comece a queimar, acicione a cenoura e o salsão. Deixe caramelizar um pouco, adicione a carcaça e o peixe cru e deixe pegar um pouco o gosto dos legumes. Assim que o peixe começar a esbranquiçar, adicone água suficiente para cobrir todos os ingredientes. Deixe cozinhando em fogo baixo por mais ou menos 30 minutos, escumando sempre as impurezas que subirem à superfície da caldo. Depois de pronto, coe espremendo todos os ingredientes para tirar todo o caldo absorvido e reserve. Se não for usar na hora, espere esfriar e refrigere ou congele se não for usar no dia.

Com o caldo pronto com antecedência, você pode esperar seus amigos todos chegarem pra poder preparar o risotto, que deve ser feito na hora de servir, nunca preparado com antecedência. A quantidade de arroz eu calculo da mesma forma que o arroz comum, mais ou menos 1 xícara para duas pessoas. No caso de um risotto “recheado”, acho que pode ser um pouco menos. Vou mostrar a receita que fiz para 8 pessoas:

3 xícaras de arroz arbóreo
1 cebola picada em cubinhos
1 talo de alho poró picadinho
1 litro de caldo de peixe (é sempre bom ter de sobra)
2 xícaras de vinho branco
800g de anéis de lula congelados (vende em qualquer supermercado)
2 colheres de sopa de manteiga
Queijo parmesão ralado na hora
Sal e pimenta do reino a gosto
1 1/2 colher de chá de açafrão da terra

Primeiro tempere a lula com sal, pimenta do reino e limão e deixe marinar por meia hora. Depois, salteie a lula em azeite, só até ela atingir uma coloração esbranquiçada. Não cozinhe muito para não deixá-la borrachuda. Reserve.

Para o risotto, comece dourando a cebola e o alho poró, acrescente o arroz e deixe fritar um pouco na gordura do azeite. Acrescente o vinho e deixe reduzir um pouco, pelo menos até evaporar o álcool. Em fogo baixo, vá acrescentando o caldo concha por concha, mexendo sempre o arroz. É sempre bom ir acrescentando o sal aos poucos, principalmente no começo. Lá pelo meio do cozimento, provar o sal e colocar o açafrão para dar uma coloração meio amarelada e não deixar o risotto branquelo demais, mas isso também é opcional. Vá colocando o caldo e mexendo até que o arroz fique al dente. Esse ponto é importante pois o risotto não é servido muito mole, tem que ser durinho mesmo. Para saber o ponto, prove quando ele estiver transparente por fora e branquinho por dentro. Aí é hora de adicionar a lula, mexer mais um pouco e desligar o fogo. Acrescente a manteiga, mexa e finalize com o parmesão, misturando bem. Sirva imediatamente.

PS: como disse antes, a fome foi tanta que não lembrei de tirar foto na hora. Prometo que quando repetir a receita, posto fotos.

news

Olá, meu povo, tou meio sumida porque semana passada foi loucura na faculdade, provas todos os dias. Mas vou voltar a postar logo.

Domingo restrasado fiz um risotto de lula pra alguns amigos em casa, mas a fome foi tanta que eu esqueci de fotografar. Vou postar a receita depois mas sem fotos, infelizmente :/

Hambúrguer caseiro strikes again
Ontem fiz hambúrguer de novo em casa, dessa vez em quantidade maior pra congelar. E resolvi testar trocar o miolo de pão molhadinho em leite por aveia em flocos finos. funcionou que foi uma beleza, viu? Podem testar :)

Testei também colocar uma carne um pouco mais gordurosa (acém) e o resultado foi diferente: o hambúrguer deu uma leve reduzida no tamanho (a altura continuou a mesma). Nnão sei se teve a ver com a gordura da carne, mas depois eu lembrei porque esses hambúrgueres industrializados diminuem de tamanho: eles encharcam de gordura! A gordura derrete e o sem hambúrguer fica lá, pequeno e nojentinho! Mais um motivo pra fazer seus próprios hambúrgueres em casa, né? De qualquer forma, uma carne de melhor qualidade vai sempre dar um hambúrguer de melhor qualidade. Acrescentei salsinha picada e não coloquei cebola dessa vez. Ficou muito bom também. Testem na casa de vocês e me digam depois.

goulash

goulash

O Goulash é um prato de origem húngara. É uma espécie de ensopado (ou, como a gente chama aqui no Nordeste, um guisado) de carne de boi meio picante. Geralmente, serve-se o Goulash acompanhado do Spätzle, mas fica ao gosto de cada um. Eu mesma acho que fica uma delícia com cuscuz :)

500g de alcatra cortada em cubos de 3cm
1 cebola
3 dentes de alho picados
1 tomate maduro
1 batata em cubos
meia xícara de vinho tinto seco
1 colher de sopa generosa de manteiga (aproximadamente 15g)
mesma medida de farinha de trigo (em gramas)
azeite
pimenta do reino a gosto
sal a gosto
meia colher de sopa de páprica picante
meia colher de sopa de cominho em pó

Primeiro, fiz um roux, que é um espessante feito com manteiga e farinha de trigo. Nesse caso, foi um roux dourado, o que significa que terá um alto poder espessante. Colque a manteiga para derreter em uma panela à parte e acrescente a farinha em seguida, mexendo sempre para não criar bolinhos. Deixe cozinhar durante uns 5 minutos e quando estiver com uma coloração dourada, desligue.

Coloque o azeite noutra panela e deixe esquentar. Doure a carne, acrescente a cebola, o alho, o sal e o tomate. Deixe refogar um pouco e em seguida ponha o vinho, o roux e o restante dos temperos, mexendo sempre. Coloque um pouco de água quente e deixe cozinhar. Vá acrescentando água aos poucos e mexendo, sempre que necessário. Prove a carne depois de alguns minutos, teste a maciez e acrescente a batata. Desligue quando a batata estiver macia mas ainda inteirinha, não pastosa. Sirva com o que quiser.

nasceu um cebolinho na minha geladeira

cebolinho

tinha uma cebola dentro da minha gaveta de verdura e de repente nasceu dela esses talinhos verdes. vou levar pra aula amanhã pra saber se isso é mesmo cebolinho ou outro tipo de coisa, depois conto por aqui.

louro

louro

O louro pertence à família da cânfora e da canela. Sua árvore chega a atingir 10m. Possui flores amarelas e pequenos frutos azuis.

A mitologia grega conta que, para salvar a ninfa Dafne da perseguição de Apolo, os deuses transformaram-na num loureiro. Frustrado com isso, Apolo fez uma coroa para si mesmo com as folhas da árvore. Significando em latim “honraria nobre”, desde a antiguidade eram oferecidas coroas de louro para os vencedores, de onde surgiu o termo “laureado”.

Possui aroma muito forte e dizem possuir propriedades narcóticas. Na antiguidade, suas folhas eram mastigadas pelas sacerdotisas como forma de atingir o transe, daí sua fama de conferir o dom da profecia.

Existem várias espécies de louro, algumas muito tóxicas. Devido ao seu forte aroma, deve ser usado com parcimônia para que não camufle o sabor dos outros ingredientes.

As folhas de louro são encontradas frescas, secas e em pó. Seu uso é bem adequado para pratos que precisam de um cozimento mais lento, pois seu óleo essencial é liberado lentamente. É um ótimo tempero para feijões cozidos, diversos assados e carnes grelhadas.

hambúrguer caseiro

A preguiça reinou nesse feriado e o menu do almoço (e do jantar) de hoje foi hambúrguer home made. É tão simples que dá vontade de fazer todo dia.

burger

Como nunca tinha testado fazer hambúrguer em casa, fui atrás de algumas receitas pra me familiarizar com a coisa. Cada um ensina de um jeito e resolvi seguir minha intuição (com uma pitada de bom senso, claro).

Usei patinho moído, mas aqui também cabe a carne de sua preferência.

500g de patinho moído

3 dentes de alho bem picado

1/2 cebola picada

1 ovo

um miolo de pão emebido em leite, bem espremidinho

pimenta do reino a gosto

alecrim a gosto

sal a gosto

Misture tudo com as mãos até ficar bem ligado. Como coloquei o sal muito no olho, decidi, depois de pronto o bolo de carne, testar assar um pouquinho da mistura e testar os temperos. Coloquei duas pitadas bem generosas, mas acho que fica a critério de cada um.

Separe a carne em 4 a 6 bolas (dependendo do tamanho que você queira seu hambúrguer, mais altos são 4; normais, dão 6) e faça discos com as mãos. Achate bem e deixe na altura e circunferência que desejar.

Use uma frigideira anti-aderente bem quente com um pouco de azeite e deixe assar. Não aperte de jeito nenhum o seu hambúrguer enquanto ele estiver no fogo, pois isso fará com que ele solte o sumo da carne e perca a suculência. Asse por alguns minutos de cada lado e depois monte o seu sanduíche com os ingredientes que quiser. Eu usei cebola em rodelas assada no shoyo, tomate e queijo processado. E uma boa mostarda para acompanhar.

coentro

coentro

O coentro é uma planta usada como tempero em vários países do mundo. Tem origem no Oriente Médio, foi levado para a Europa pelos romanos que usavam uma uma mistura de coentro, vinagre e cominho para conservar carnes.

No Brasil é mais usado em pratos à base de peixes e frutos do mar. Mas no Nordeste do Brasil ele é muito utilizado em quase todos os pratos, o que causa um certo estranhamento pra quem não é daqui.

O coentro tem aroma e sabor muito fortes, costuma roubar a cena dentro de uma preparação. A própria origem do nome já explica: do latim coriandrum, significa “cheiro de percevejo” devido ao aroma forte exalado por todas as partes verdes da planta. Os grãos, por sua vez, possuem aroma agradável, principalmente depois de secos.

Fresco, em folhas, pode ser usado em peixes, mariscos e camarões. Em grãos, inteiros, na preparação de salsichas e picles. Em grãos moídos, constitui condimento agradável de carnes, aves, sopas, pães e doces.

Mas tudo também é uma questão de paladar. Quem não é nordestino e estranha o uso que fazemos do coentro aqui deveria experimentar usar de vez em quando. Eu gosto de salpicar coentro e cebolinho picados quando termino de fazer uma feijoada, por exemplo, ou mesmo um caldinho de feijoada. O coentro confere um agradável frescor e um gostinho picante que considero essenciais nessas duas preparações.

Entradas Mais Antigas Anteriores