chocolate quente

Eu não sou lá uma pessoa muito fã de chocolate, mas há pouco tempo descobri que na verdade o que eu não gosto é de chocolate brasileiro. Antes que vocês me chamem de esnobe, deixem eu me explicar: chocolate brasileiro normalmente é ao leite e leva MUITO açúcar. E eu não sou muito fã de doces muito doces. Talvez a única exceção eu abra pro brigadeiro, mesmo assim não é algo que eu consiga comer muito. Bom, tenho certeza que mais gente compartilha desse meu não-gosto por coisas doces demais. E, convenhamos, brasileiro é muito viciado em açúcar.

Mas voltando ao meu gosto por chocolate: depois que você come um chocolate de verdade (belga, suíço, francês) você percebe como o nosso chocolate é pobre e super doce. E quando você aprende a gostar de chocolate amargo você passa a entender que o sabor do chocolate é muito mais rico quando ele tem menos açúcar. Vou ficar devendo um longo post sobre o chocolate, mas hoje vamos ficar apenas com uma receita muito simples, ideal pra esses dias chuvosos que tão fazendo aqui em Recife.

Você vai precisar de:
500ml de leite
100ml de creme de leite
60g de chocolate amargo (usei um 78% de cacau) em raspas
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de chá de canela
1 grão de pimenta do reino

Ferva o leite diluído com o creme de leite. Adicione as raspas de chocolate, o açúcar, a canela e a pimenta e mexa bem pra dissolver tudo. Aqueça por mais 10 minutos, mexendo de vez em quando. Peneire e sirva quente.

Você pode gelar e reaquecer no dia seguinte, fica ainda mais gostoso. Se você não gosta de chocolate amargo, use um com menos cacau ou adicione mais açúcar conforme seu gosto.

Anúncios

cheesecake

Apesar de ser uma torta tipicamente americana, conta-se que o cheesecake nasceu na Grécia antiga, na Ilha de Delos, em 776 a.C. e se espalhou pela Europa através dos romanos. Trata-se de uma torta cujo recheio, obviamente, é queijo, mas as receitas foram variando conforme os anos e também os tipos de queijo usados, como o cottage, o ricota e o francês neufchâtel. O que se conta é que em 1872, um leiteiro americano acabou inventando sem querer o cream cheese tentando recriar o queijo neufchâtel e uso do cream cheese acabou se popularizando nas receitas de cheesecake nos Estados Unidos.

As receitas são muitas, inclusive há algumas que levam até uma espécie de pão-de-ló como massa. As mais populares são com massa crocante, recheio firme porém macio e calda de frutas vermelhas.

Para a massa
130g de biscoito maizena (ou 1 pacotinho daqueles 3 que vem no pacotão)
20g de amêndoas levemente torradas
60g de manteiga derretida sem sal

Para o recheio
1 pacote de cream cheese
50g de açúcar
1 colher de sopa rasa de amido de milho
2 ovos
1 colher de sopa de sumo de limão siciliano
100g de creme de leite fresco
1 colher (chá) de essência de baunilha

Para a calda
150g de açúcar
200g de morangos
200g de amoras
200g de framboesas (se forem em calda, utilize a calda no lugar da água)
50ml de vinho do porto

ou

geléia pronta do sabor que preferir
um pouco de água para diluir

Modo de preparo da massa:
Triture o biscoito com as amêndoas e junte a farofinha com a manteiga até formar uma massa. Refrigere por cerca de meia hora. Cubra o fundo de uma assadeira com fundo falso, faça leves furinhos com um garfo e leve ao forno a 170º pré-aquecido por mais ou menos 10 minutos.

Modo de preparo do recheio:
Separe as gemas das claras. Bata as gemas com o açúcar e o amido até formar um creme claro. Adicione os demais ingredientes, exceto as claras. Essas serão batidas em ponto de castelo e incorporadas delicadamente e aos poucos aos ingredientes batidos. Coloque o recheio na assadeira e volte ao forno a 230º (pré-aquecido) até dourar levemente. Abaixe o fogo para 150º e asse durante 50 minutos ou até a massa estar totalmente cozida (faça o teste do palito no centro da massa, se ele sair limpo, a massa está pronta).

Modo de preparo da calda:
Corte os morangos grosseiramente. Coloque o açúcar em uma panela com um pouco de água (ou, se você usar frutas em calda, use a calda) e dissolva bem. Mexa de vez em quando até engrossar. Adicione as frutas, o vinho do porto e deixe a calda reduzir. Processe no modo pulsar e espere esfriar um pouco. Se for usar geléia pronta, basta diluir com um pouco de água e deixar reduzir.

Depois da torta assada, espere esfriar, desenforme com cuidado e cubra com a calda/geléia. Leve à geladeira e sirva gelada.

dia das mães com carinho

Eu não tenho filhos ainda, mas me acho a maior mãe dos meus gatos Vasco e Nestor. E, mesmo sem ser mãe de fato, fiquei super feliz de receber em minha casa uma cesta linda de dia das mães da Vitarella.

Negócio é o seguinte: que tal, além do presente que você já ia dar pra sua mãe, criar um videozinho personalizado com suas fotos? Entra aqui e dá uma olhadinha nas instruções, é super fácil. E tenho certeza que sua mãe vai ficar bem emocionada com a surpresa.

strudel de maçã

Apfelstrudel, ou o já conhecido strudel de maçã, é uma sobremesa de origem alemã feita com massa folhada ou com massa philo, aquela massa fininha que parece uma folha de papel transparente. Como massa philo é muito difícil de fazer e normalmente as pessoas usam industrializada, faremos aqui com massa folhada caseira.

Você vai precisar de:

Para a massa folhada
500g de farinha de trigo
1 xícara de água
1 colher de sopa rasa de sal
350g de maragarina (própria para massa folhada, com alto teor de lipídeos) gelada

Para o recheio
6 maçãs verdes
sumo de 1 limão
1 1/2 xícara de passas
1 xícara de amêndoas fatiadas
açúcar e canela a gosto para polvilhar

Primeiro, vamos ao preparo da massa. Lembrando que fazer massa folhada na mão dá trabalho mas compensa. É muito melhor do que comprar congelada. Vamos lá, botem o muque pra funcionar: misture a farinha com o sal, vá colocando a água aos poucos e misture bem. Dependendo da sua farinha de trigo, talvez não seja necessário colocar tanta água, ou talvez seja necessário colocar um pouco mais.

A mistura é grudenta no começo, mas é só quando o glúten tá se formando. Depois ela vai se tornando maleável e mais sequinha. Se você tiver uma batedeira possante em casa, pode fazer esse primeiro processo nela, mas dá pra fazer tranquilamente na mão.

Depois de bem sovada, leve a massa para uma superfíce enfarinhada, de preferência de granito pra trabalhá-la sem grudar. Estique a massa com um rolo e forme um retângulo com cerca de 60x20cm, aproximadamente. Faça um pequeno risco na massa, dividindo-a em 3 partes iguais. Nas duas partes da ponta, adicione a margarina cortada em fatias fininhas e preencha todo o espaço. Você terá 2/3 da massa preenchidos com margarina e a parte central vazia. Dobre uma dessa pontas em direção ao meio vazio e depois faça o mesmo com a ponta que sobrou, como se tivesse dobrando um lençol. Abra novamente a massa no mesmo tamanho de antes e repita o mesmo processo de dividir a massa em 3, dobrar e abrir como foi feito anteriormente mais 5 ou 7 vezes. Dessa forma, você não percebe, mas está formando as “folhas” da massa e a gordura vai penetrando uniformemente entre elas. Feito esse procedimento de 5 a 7 vezes, cubra a massa com filme plástico e coloque na geladeira por meia hora.

Enquanto isso, rale as maçãs com casca no ralo grosso do ralador e ponha sumo de 1 limão para não oxidar. Faça uma mistura de açúcar cristal com canela e reserve. Escorra a água da maçã, seque bem com papel absorvente ou um pano limpo e misture com as passas e o açúcar com canela. Mexa tudo pra incorporar bem.

Agora coloque a massa folhada sob a bancada, corte as pontas irregulares formando um retângulo certinho e recheie com a mistura de maçãs e passas, polvilhe as amêndoas por cima e enrole como um rocambole, lembrando de fechar as pontas com um pouco de água pro recheio não vazar. Coloque o rolinho no freezer, espere cerca de 20 minutos e enquanto isso deixe o forno pré-aquecendo em 180º. Na hora de levar ao forno, pincele com gema de ovo, faça pequenos cortes em xis em toda a massa e deixe assar até dourar.


asse o strudel de preferência numa travessa retangular, essa curvinha não é obrigatória nem necessária :)

Na hora de servir, polvilhe mais açúcar e canela por cima e corte em rodelinhas.

fricassé de frango

Ontem o Felipe @Mudei pediu uma receita de fricassé de frango no twitter. Por coincidência, eu havia feito no domingo pro almoço. E como fricassé é daquelas receitas tipo estrogonofe em que cada um faz do seu jeito, vou postar a minha receita de fricassé. E não, não leva milho, ervilha, azeitona nem nada disso, ok? :)

Você vai precisar de:
1 peito de frango com pele e osso
1 cebola grande picada grosseiramente
1 cebola grande picada em cubinhos pequenos
3 dentes de alho inteiros
2 dentes de alho picadinhos
3 tomates picados grosseiramente
1 pimentão verde picado grosseiramente
1 talo de alho poró picado grosseiramente (inclusive a parte verde)
1 cenoura em rodelas grossas
2 talos de aipo (salsão)
Cheiro verde a gosto
Sal e pimenta para temperar o frango
2 folhas de louro
Tomilho seco a gosto
roux branco
100ml de vinho branco seco
100ml de creme de leite

Aqueça azeite em uma panela funda e doure o frango no lado da pele. Adicione a cebola picada grosseiramente e os dentes inteiros de alho e deixe pegar sabor. Acrescente o pimentão e os tomates, refogue bem e em seguida adicione o alho poró, a cenoura e o aipo. Ponha as folhas de louro, o tomilho e cubra com água. Tampe e deixe cozinhar bem.

Quando o frango cozinhar, retire-o da panela e desfie. Coe o caldo espremendo o máximo dos legumes e reserve. Descarte os legumes.

Na mesma panela, doure a cebola picadinha com o alho, adicione o roux, deglaceie com o vinho e vá acrescentando aos poucos o caldo. Lembrando que se o roux estiver quente, o caldo também deve estar e vice versa. Com a ajuda de um fouet, vá mexendo e desfazendo os gruminhos de farinha e adicionando o caldo aos poucos. Espere ferver e verifique a consistência, talvez seja necessário colocar mais roux para atingir o ponto de creme.

Acrescente o frango desfiado, corrija o sal e a pimenta, tempere com um pouco de noz moscada. Se quiser, ponha o fricassé numa travessa refratária e leve ao forno para gratinar. Pode ser pobre feito eu e colocar batata palha por cima, ou quejo, ou simplesmente servir com arroz branco.