vichyssoise

Mesmo morando aqui no Senegal (aka Recife), eu tenho verdadeiro pavor de sopa fria. Abro uma exceção pra o Gazpacho, realmente refrescante no verão e por levar verduras cruas e não cozidas. Pra mim, coisa cozida tem que ser servida quente. Além disso, quem mora em Recife sabe: a gente toma caldinho de feijão quente fervendo com pimenta na beira da praia. E acha ótimo.

Então vou começar quebrando todas as regras ao servir uma Vichyssoise quente. A Vichyssoise é uma sopa de batata com alho poró que é tradicionalmente servida fria, assim como a terrível Bortsch, feita de beterrada.

(Abro um parêntese pra explicar que não tenho frescura com nenhum alimento, exceto com beterraba. Não é nenhum trauma de infância escondido no meu subconsciente, ninguém nunca me forçou a comer nada. Eu simplesmente tenho ânsia de vômito só de sentir o cheiro da beterraba cozida.)

Mas voltando à nossa sopa. A vichyssoise, apesar de parecer, não é de origem francesa. Ela foi, sim, criada por um chef francês (da cidade de Vichy, ahá!) mas nos Estados Unidos. É normalmente servida fria.


Vichyssoise como uma verrine, dentro de um copinho, no mais tradicional estilo praia ;)

40g de manteiga
250g de alho poró
250g de batata em pedaços grandes
1,5 litro de caldo de frango
1 folha de louro
um talinho de salsa
um punhadinho de tomilho
sal e pimenta do reino a gosto
150ml de creme de leite

Aqueça a manteiga e deixe o alho poró até suar. Junte o caldo, a batata, o louro e a salsa e deixe cozinhar em fogo baixo até as batatas amaciarem. Coe os sólidos e reserve o caldo. Bata no liquidificador adicionando aos poucos o caldo do cozimento até obter uma consistência próxima a de purê, mas não tão densa. Volte à panela, adicione sal e pimenta (se você usar caldo de frango industrializado, não use sal) e finalize com creme de leite. Sirva com cebolinhas picadas ou com mais pimenta do reino moída. Quente ou fria, fica ao seu critério.

Anúncios

fraldinha na cerveja preta

A fraldinha é uma carne injustiçada. Apesar de ser considerada carne de primeira, é um corte barato e muito pouco usado de maneira comercial, mas pode ser uma carne extremamente macia dependendo de como se prepare. De fato, é uma carne com fibras muito irregulares, muita gordura externa e entremeada e tem partes mais macias que outras. É um corte que fica localizado entre a parte traseira e a costela do boi. Também é conhecida como vacio em espanhol, bavette d’aloyau em francês e thin flank em inglês.

Eu sou suspeita pra falar da fraldinha, eu adoro. Sempre fiz fraldinha de forno em casa, temperada só com sal grosso. No churrasco também faz a alegria da rapaziada e não precisa nem cortar: vai inteira direto pra grelha. Testei pela primeira vez ontem essa receita de fraldinha na panela de pressão e foi sucesso, claro.

1 peça de fraldinha
1 long neck ou lata de cerveja preta
300ml de caldo de carne
1 folha de louro
2 dentes de alho amassados
1 cebola picada
cominho, pimenta e sal a gosto
1 1/2 colher de sopa de farinha de trigo

Tempere a fraldinha com sal e pimenta. Em uma panela de pressão, aqueça um pouco e óleo, coloque o alho, a cebola e leve a fraldinha pra dourar. Talvez seja preciso cortá-la na metade pra caber na panela. Doure bem cada lado da peça, adicione a cerveja, o caldo, a folha de louro, o cominho. Tampe a panela e assim que começar a apitar, conte 40 minutos.

Depois de pronta, separe a carne. Leve o caldo a outra panela, adicione a farinha totalmente dissolvida em um pouco de água e coloque no caldo pra engrossar um pouco. Corte a carne em pedaços menores, polvilhe folhinhas verdes de sua preferência por cima e sirva com legumes cozidos ou um bom cuscuz brasileiro :)

guia de comida popular do recife

Quem me conhece sabe que eu adoro um comidão. Chambaril, sarapatel, buchada é comigo mesmo. Inclusive, a primeira idéia do Temos Comida era exatamente ser um guia de botecos do Recife.

Recife já é o terceiro pólo gastronômico do Brasil (há, inclusive, quem defenda que já ultrapassou o Rio de Janeiro, mas eu não vou entrar nesse mérito). Turistas aportam aqui todos os dias atrás também de bons lugares pra comer e, de fato, existem muitos. Mas muita gente, assim como eu, também quer ir atrás da comida regional, típica dos locais onde visita, aquela que tem o saborzinho especial de comida feita em casa. O famoso comidão. E muitas vezes é difícil achar os lugares de excelência pra degustar essas iguarias típicas. Esse guia vem preencher essa lacuna em relação aos locais de Recife perfeitos pra degustar comida popular.

É separado em três categorias: delícias do mar, delícias de mercado e delícias de quintal. Contempla botecos já consagrados como o Bar do Cabo, no Pina, o Bar do Artur, no Mercado da Madalena e o Bragantino, no Mercado da Encruzilhada e outros não tão famosos, como a dobradinha do Guga Express, em Aldeia e o Brilhosinho, em Boa Viagem.

O guia foi fruto da pesquisa de Eliza Brito, ainda como estudante de jornalismo da Universidade Federal de Pernambuco e foi seu trabalho de conclusão de curso, em 2008. O belo projeto gráfico é do designer Philipe Camarão.

wrap de café da manhã

Dia desses, comprei um pacote de Rapi10 light sonhando com um kebab bem podre que comi em barcelona. Como isso é impossível, a gente adapta pra outros enroladinhos com o que tem na geladeira. Essa é uma receita fácil e muito rápida pra um café da manhã diferente (e light: cada wrap tem apenas 173 kcal)

1 pão folha ou Rapi10
1 colher de sopa de requeijão light
2 fatias de peito de peru defumado
1 folha de alface americana ou crespa
1 colher de chá de azeite
1 colher de chá de mostarda

Primeiro, aqueça uma frigideira anti-aderente e coloque o pão apenas para esquentar de cada lado. Depois, num prato, comece a montagem do wrap: coloque o pão, passe o requeijão em metade dele. Ponha as duas fatias de peito de peru, até preencher essa metade. Rasgue com as mão a folha de alface e vá arrumando por cima. Ponha o azeite por cima das folhas e depois a mostarda. Agora é hora de enrolar. Comece a fazer o rolinho pelo lado do recheio. Não se preocupe, você vai sujar as mãos. Depois que virar um charutinho gordo, faça um corte no meio na diagonal pra ficar bonitinho e bom apetite.

they draw and cook

Eu já tinha falado aqui no blog do Recipe Look, um site onde as pessoas postam suas receitas de forma ilustrada. Hoje eu descobri através do twitter um lance bem parecido, só que dessa vez é um concurso. O They Draw and Cook também é um site onde pessoas postam receitas ilustradas só que oferece um prêmio de até US$ 2.000,00 para a melhor ilustração + receita postada lá. Mas, muito além do prêmio, passar por lá e ver a criatividade do pessoal é de encher os olhos.

papa’s burgeria

Pra quem gosta de cozinhar e de jogar, o Papa’s Burgeria é perfeito. É um joguinho em flash onde você trabalha numa burgueria, anota o pedido do cliente, vai pra chapa assar o hamburguer e pra mesa montar o pedido. E ganha gorjetas de acordo com o seu desempenho:

Clica aqui pra jogar.