vichyssoise

Mesmo morando aqui no Senegal (aka Recife), eu tenho verdadeiro pavor de sopa fria. Abro uma exceção pra o Gazpacho, realmente refrescante no verão e por levar verduras cruas e não cozidas. Pra mim, coisa cozida tem que ser servida quente. Além disso, quem mora em Recife sabe: a gente toma caldinho de feijão quente fervendo com pimenta na beira da praia. E acha ótimo.

Então vou começar quebrando todas as regras ao servir uma Vichyssoise quente. A Vichyssoise é uma sopa de batata com alho poró que é tradicionalmente servida fria, assim como a terrível Bortsch, feita de beterrada.

(Abro um parêntese pra explicar que não tenho frescura com nenhum alimento, exceto com beterraba. Não é nenhum trauma de infância escondido no meu subconsciente, ninguém nunca me forçou a comer nada. Eu simplesmente tenho ânsia de vômito só de sentir o cheiro da beterraba cozida.)

Mas voltando à nossa sopa. A vichyssoise, apesar de parecer, não é de origem francesa. Ela foi, sim, criada por um chef francês (da cidade de Vichy, ahá!) mas nos Estados Unidos. É normalmente servida fria.


Vichyssoise como uma verrine, dentro de um copinho, no mais tradicional estilo praia ;)

40g de manteiga
250g de alho poró
250g de batata em pedaços grandes
1,5 litro de caldo de frango
1 folha de louro
um talinho de salsa
um punhadinho de tomilho
sal e pimenta do reino a gosto
150ml de creme de leite

Aqueça a manteiga e deixe o alho poró até suar. Junte o caldo, a batata, o louro e a salsa e deixe cozinhar em fogo baixo até as batatas amaciarem. Coe os sólidos e reserve o caldo. Bata no liquidificador adicionando aos poucos o caldo do cozimento até obter uma consistência próxima a de purê, mas não tão densa. Volte à panela, adicione sal e pimenta (se você usar caldo de frango industrializado, não use sal) e finalize com creme de leite. Sirva com cebolinhas picadas ou com mais pimenta do reino moída. Quente ou fria, fica ao seu critério.

creme de ervilha

Sopa de ervilha é daquelas receitas preguiçosas, de quando você tá a fim de tomar uma sopa e com preguiça de picar verduras ou de fazer um caldo. Enfim, é do jeito que eu gosto, pei buf.

Aqui você pode usar tanto ervilhas frescas como secas, vai depender do que você tiver à mão. A diferença das ervilhas frescas é que você compra elas pré-cozidas e congeladas e seu cozimento nem chega a 10 minutos. Como nem sempre temos ervilhas frescas em casa, dá pra fazer com a seca, mas demora um pouco mais.

Você vai precisar de aproximadamente:
1 xícada de ervilhas secas
2 paios
2 dentes de alho inteiros
sal e pimenta do reino a gosto

Você pode começar hidratando a ervilha com água morna por 40 minutos. É o tempo que você vai pra bicicleta ergométrica e faz um exerciciozinho vendo sua série favorita (e foi o que eu fiz ontem). Passados os 40 minutos, enquanto a fome não bate, corte grosseiramente um dos paios em rodelas, descasque o alho, escorra a água da ervilha e cozinhe os 3 ingredientes até a ervilha amaciar. Os 40 minutos que você deixou de molho já foram suficientes pra dar uma encharcada nas ervilhas, de modo que, assim como o feijão, o cozimento vai ser muito mais rápido.

Deixe tudo cozinhando e vá tomar um banho. Quando as ervilhas tiverem cozinhado, passe tudo no liquidificador e volte o creme à panela. corte o outro paio em rodelinhas finas e frite com um fiozinho de azeite, só pra tomar cor. Sirva o creme com as rodelinhas dentro, pra mastigar enquanto tomar o caldo e decore com salsa e cebolinha picadinhas.